Os Capial - Aquela Rua (cover Horríssono)

Os Capial - Porco do Mato Eu Não Mato

Os Capial - Quando Sol Mata Sede (participações especiais)

terça-feira, 21 de julho de 2015

Serrabulho – Star Whores

Serrabulho – Star Whores
2015 – Rotten Roll Rex – Portugal


Caras, preparem-se para gargalhadas com a nova insanidade da lusitana Serrabulho! Os “happy grinders” estão zoando demais, mas mantendo a qualidade musical do ‘debut’, o “meigo” “Ass Troubles”. Aliás, o que (não) esperar de um álbum intitulado “Star Whores”?
Como já é possível notar, portanto, humor e música pesada são a base da banda. Só que a brutalidade fala alto aqui também, mesmo sendo este trabalho um pouco mais diversificado do que o anterior: dessa vez, há mais partes cadenciadas no Grind/Gore/Death do pessoal – a deliciosa e clássica batida “tu pá tu pá” se faz presentes em diversos momentos.
O timbre da guitarra é interessante, pois consegue ser pesadão, mas com algo diferente na distorção, que segue o padrão do registro anterior. Parece quase eletrônico, meio que de videogame, é difícil explicar. Enfim, é um timbre único!
Um show à parte também é a variação vocal de Carlos Guerra, que vai do gutural/pig squeal ao limpo e esganiçado. Tudo é usado nos momentos certos e, portanto, não há um estranhamento durante a audição.
Não seria justo destacar essa ou aquela música, visto que cada uma tem seu brilho próprio. Ok, “Vaseline” é foda demais, mas no geral, todas são poderosas. E vale mencionar a participação brasileira na faixa “Caguei na Betoneira” (um dos títulos “singelos” do play) de Christiano K.O.D.A., vulgo este redator, que se esgoelou em alguns trechos da comovente canção. Ah, sim, e escutem a hidden track no final, especialmente o trechinho flatulento!
Enfim, a Serrabulho extrapolou na irreverência, sem abrir mão do extremismo musical e da criatividade nas composições. A gravação está excelente, outro cuidado com o qual a banda teve preocupação ao colocar essa beleza no mercado.
É Portugal e seu underground riquíssimo fazendo história! “Ouva” aí!

Nota 8,0



quinta-feira, 26 de março de 2015

Hibernando...



Foram quatro anos de muita dedicação... parabéns, Som Extremo, completando mais um aniversário! Agora já pode descansar!
Pra quem não se lembra ou não viu, as atividades do blog serão suspensas a partir de agora (https://www.facebook.com/som.extremo/posts/837341889685462?notif_t=like).


MUITO OBRIGADO A TODOS E ATÉ ALGUM DIA!

No Sense – Burying My Dreams (EP 7’’)

No Sense – Burying My Dreams (EP 7’’)
Sacramental Records/Glauber Distro/Attitude Headbagner’s House/Neves Records/CM - 2013 – Brasil


É uma das mais representativas e históricas bandas de Grind nacionais soltando fogo! “Sem rodeios, sem frescuras e sem ‘mi-mi-mi’”: copiado do release, é exatamente isso!
Seis faixas violentas, até com trechos Death Metal, fazem parte desse belo EP de 7’’. Sim, pra manter o charme, o material saiu em vinil! Pois é, e a experiência mostra que as variações dentro do estilo fazem a diferença e deixam o registro ainda mais rico. Ponto pra esses santistas infernais!
A vocalista Marly se esgoela e impacta cada uma das composições, impressionante! O peso da guitarra de Morto e do baixo de Juninho são absurdos, assim como as marretadas do baterista Paulinho.
E a lenda Luiz Carlos Louzada (Vulcano) empresta seus berros nas faixas “Spilling the Holy Shit” e “Nascido para Perder”. Nem precisa dizer que ficaram ainda mais matadoras, né?
A gravação é ótima para o estilo, suja e pesada na medida certa. E a arte gráfica também saiu caprichada.
Pena que o EP é tão curto... menos de cinco minutos de duração! Putz, esse sim, dá pra afirmar de boca cheia: deixa o bendito gosto de quero mais. Enfim, a No Sense traz mais um material imperdível para fãs de Grind, que serve como referência total para o estilo. Aniquilador, escutem aí embaixo, que está online!

Nota 8,0
nosense_grindcore@hotmail.com



Two Old Men - Don't Kiss Me Baby (EP 7’’)

Two Old Men - Don't Kiss Me Baby (EP 7’’)
Independente – 2014 - Brasil


O que dizer da parte visual deste EP??? Saiu em vinil de 7’’ transparente, com uma arte gráfica fantástica e a capa dupla “recortada” no centro. Puta investimento desses caras!
Já deixando uma ótima impressão inicial, é hora de escutar o que a dupla, formada por Cláudio Cardoso (guitarra/baixo/vocal) e Paulo Ferramenta (bateria/backing vocal), tem a dizer.
Pois os caras mandam num empolgante Metal cheio de groovie e peso, que fisga o ouvinte pelos tímpanos rapidamente. Puta sonzeira linda!
São somente quatro faixas variadas e interessantes, e chama a atenção o fato de que suas execuções são relativamente simples. Ou seja, quem tem competência para compor não precisa exagerar e querer mostrar a mais absurda das técnicas. Um exemplo apenas é o bom uso de pedais duplos por parte de Paulo na música “Cargo Cult”.
A música de abertura, que dá nome ao EP, conta com a participação brutal da vocalista Marly (No Sense), o que obviamente deixou o resultado mais extremo.
Mas as outras também são pura agressividade e bom gosto. O vocal de Cláudio é meio urrado/gutural, e caiu como uma luva à sonoridade da banda. O timbre do baixo também arranca lágrimas, puta merda!
Se você não tem como ouvir isso num toca discos, pode apreciar a pedrada pelo Reverbnation! Resumindo isso aqui? QUE MATERIAL FODA! Estreia em grande estilo! Que mais frutos dessa dupla não demorem a serem gerados!

Nota 8,0


UNLEASHED - Dawn Of The Nine Track By Track #3 (OFFICIAL)


https://www.youtube.com/watch?v=_V_T1y86TRM

HUMAN CULL Live At OEF 2014 HD


https://www.youtube.com/watch?v=mFh3wuS4S4A

THE KILL Live At OEF 2014 HD


https://www.youtube.com/watch?v=0O8wM6vO9cM